Fertilização in vitro

Fertilização in vitro (FIV) consiste na fecundação de óvulos com espermatozóides através de manipulação em laboratório. A fecundação desses dois tipos de células gera embriões. É um tratamento de elevada complexidade, que necessita de profissionais capacitados e laboratório de qualidade.

A FIV está indicada para inúmeras condições clínicas que levam a infertilidade conjugal. Podemos destacar as alterações tubáreas, endometriose, reserva ovariana reduzida, alteração seminal importante, dentre outras situações.

O tratamento de Fertilização in Vitro é composto por algumas etapas como indução da ovulação, captação dos óvulos e coleta dos espermatozóides, fertilização no laboratório, e transferência de embriões.

A indução da ovulação é realizada através administração de medicamentos (geralmente com administração subcutânea) que promoverão o desenvolvimento de um número relativamente elevado de óvulos na mulher (esse número depende de características individuais de cada paciente). Através de avaliação ultrassonográfica identifica-se o momento adequado para a administração de medicação específica que deflagra o amadurecimento dos óvulos. A seguir é realizada a aspiração folicular (captação ou coleta dos óvulos).

A captação dos óvulos é realizada através de punção, guiada por ultrassom, dos folículos ovarianos com uma agulha fina. O procedimento é feito sob anestesia e dura cerca de 10 a 20 minutos.

A coleta dos espermatozóides é realizada, de modo geral, por masturbação, concomitante à captação dos óvulos. Caso não haja espermatozóides no sêmen ejaculado (azoospermia), outros procedimentos podem ser necessários como punção epidídimo, dentre outros.

No laboratório, os óvulos captados são fertilizados pelos espermatozóides através da Fertilização in Vitro ou da Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóides (ICSI) gerando embriões. Na fertilização in vitro os espermatozóides são colocados ao redor do óvulo e penetram dentro deste de maneira natural. Na ICSI (da sigla em inglês “intra cytoplasmic sperm injection”)   um espermatozóide é escolhido e introduzido pelo embriologista dentro do óvulo com o auxílio de um microscópio.

Os embriões são mantidos no laboratório e se desenvolvem por 2 a 6 dias. Em seguida eles são transferidos para dentro do útero da mulher (tranferência embrionária). Este procedimento é realizado com um catéter delicado, é guiado por ultrassom, e não há necessidade de anestesia. O teste de gravidez é realizado após 9 a 11 dias.

As taxas de sucesso da Fertilização in Vitro são significativamente superiores se comparadas a da Relação Sexual Programada e da Inseminação intra-Uterina.