OVÁRIOS MICROPOLICÍSTICOS OU MÚLTIPLOS CISTOS EM OVÁRIOS

Muitas mulheres se preocupam ao ler essas palavras na conclusão de seu exame de ultrassom transvaginal. Será que realmente devem se preocupar? A presença de múltiplos cistos nos ovários é sempre uma doença?

A presença desses cistos nos ovários de forma isolada, ou seja, sem nenhum outro sintoma ou sinal não significa doença. Ou seja, se a mulher que apresenta esse laudo ultrassonográfico não apresentar quaisquer outros sintomas como irregularidade menstrual ou sinais de masculinização (aumento ou aparecimento de pelos em face, nas mamas, abdômen, etc) ela não deve se preocupar.

Existe uma entidade clínica conhecida como Síndrome dos Ovários Policísticos. Essa doença se caracteriza pela presença de irregularidade menstrual, sinais de masculinização e presença de múltiplos pequenos cistos nos ovários.

Algumas mulheres afirmam apresentar irregularidade menstrual pois a menstruação não vem sempre no mesmo dia do mês. O importante não é o dia do mês em que a menstruação se inicia, mas sim o intervalo entre os períodos de sangramento. Intervalo de 25 a 35 dias é considerado normal.

Os sinais de masculinização são: voz fica mais grossa; aumento de espinhas no rosto; pele mais oleosa; aparecimento ou aumento da quantidade de pelos na face, axilas, abdômen ou até no seio.

A síndrome dos ovários policísticos não é uma doença que traz risco de vida. É um distúrbio hormonal que muitas vezes leva a esses desconfortáveis sinais de masculinização, a certo grau de infertilidade, a aumento do risco de diabetes, de hipertensão arterial ou de outras doenças vasculares.

O tratamento ou controle é feito com anticoncepcionais, antivirilizantes, biguanidas, tratamentos específicos para infertilidade, entre outras opções terapêuticas.

O acompanhamento dessa síndrome deve ser feito por um médico afeito as suas peculiaridades. Este pode tanto ser um ginecologista quanto um endocrinologista.